O que é a Terapia Cognitivo-Comportamental?


Por Carolyne Juvenil, psicóloga e terapeuta cognitivo-comportamental


Desenvolvida por Aaron Beck no início dos anos 60, a terapia cognitivo-comportamental é uma entre as várias abordagens de psicoterapia. Possui características particulares que a diferenciam de outras abordagens. Vamos conhecer as principais caraterísticas da TCC? A TCC tem uma abordagem psicoeducativa A terapia cognitivo-comportamental postula a necessidade de obter conhecimento sobre o próprio funcionamento cognitivo e emocional para que ocorra mudança. Desta forma, o terapeuta ensina ao paciente como identificar e reestruturar seus próprios pensamentos e caso haja a presença de um transtorno psiquiátrico, seu ciclo de funcionamento específico também é apresentado ao paciente. Estratégias para manejo de pensamentos, emoções e resoluções de problemas são ensinadas e postas em prática durante todo o tratamento. Desta forma, o paciente vai gradativamente tornando-se seu próprio terapeuta e é feita a prevenção de recaídas - para que ele possa manejar suas questões de forma autônoma após o fim da terapia. A TCC é orientada em metas e focada em problemas No início do processo terapêutico são definidas as metas que se deseja atingir. Todo o trabalho terapêutico será voltado para a conquista das metas e resolução de problemas. Durante o percurso essas metas serão revistas para que seja avaliada a efetividade do tratamento. A TCC enfatiza o presente O foco da TCC é atuar na resolução de problema atuais. A conceitualização de caso do paciente envolve toda a sua vida para que haja compreensão de como os eventos passados contribuíram para o sofrimento atual. O foco da terapia é voltado para questões passadas em três situações: quando não há diminuição significativa das questões presentes que levaram o paciente à terapia, quando as características do caso apontam para o foco no passado como melhor estratégia terapêutica ou quando o próprio paciente manifesta predileção pelo foco em questões passadas. A TCC tem sessões estruturadas De acordo com as metas definidas para o tratamento, o conteúdo é definido sempre ao início de cada sessão. Terapeuta e paciente sugerem os temas para discussão do dia e decidem quais terão prioridade. A TCC estimula a autonomia do paciente Ao fim de cada sessão são combinadas atividades e experimentos que o paciente fará ao longo da semana para pôr em prática as habilidades aprendidas em terapia. As atividades são propostas pelo terapeuta ou pelo próprio paciente e visam aumentar a independência do paciente em relação ao terapeuta, para que seja possível manejar sozinho seus problemas ao fim da terapia. A TCC é baseada na colaboração ativa entre paciente e terapeuta A sessão em terapia cognitiva é bastante ativa e dinâmica. Paciente e terapeuta conversam abertamente sobre as questões trazidas pelo paciente e juntos refletem sobre a relação entre pensamentos, emoções, comportamentos e reações físicas que causam sofrimento emocional. O terapeuta divide com o paciente suas hipóteses sobre o funcionamento deste, para que ambos possam confirmar as hipóteses ou corrigir possíveis equívocos. Todas as intervenções pensadas pelo terapeuta são colocadas como propostas ao paciente, que pode alterá-las ou trazer suas próprias ideias de intervenção. Com o passar do tempo, o paciente fica cada vez mais ativo na sessão, refletindo a autonomia desenvolvida em sua própria vida. Fonte: BECK, J. S. Terapia Cognitiva: Teoria e Prática. Artmed, 1997.


#TerapiaCognitivoComportamental

Posts Em Destaque
Posts Recentes